Ferramentas Pessoais
Você está aqui: Página Inicial Reitoria Notícias Chamadas abertas para projetos de pesquisa e extensão tecnológica
Ações do documento
14/10/2013 às 18h37

Chamadas abertas para projetos de pesquisa e extensão tecnológica

— registrado em:

São várias linhas de atuação e a inscrição deve ser feita até 8 de novembro

A Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) lançou chamadas para selecionar projetos cooperativos de Pesquisa Aplicada e de Extensão Tecnológica a receberem apoio financeiro. São R$ 20 milhões do Ministério da Educação a serem disponibilizados através do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) através de várias linhas.

A chamada é voltada para pesquisadores dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia e Escolas Técnicas vinculadas às Universidades Federais em projetos cooperados com o setor produtivo, alinhados as características do Plano Brasil Maior e da Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação. Entre as áreas de atuação estão Agropecuária, Alimentos, Mineração, Petróleo e Gás, Construção Civil, Pesca e Aquicultura, Metal-Mecânica e Tecnologias da Informação e Comunicação.

As instituições têm até 8 de novembro para submeter as propostas. Em dezembro, deve ser divulgado o resultado. O prazo de execução é de dois anos. Clique aqui para ver a Chamada MEC/Setec/CNPq N º 94/2013.

No documento, há as orientações completas para os projetos. Entre os objetivos específicos da chamada, estão selecionar projetos com foco em Pesquisa aplicada, Desenvolvimento e Inovação (PD&I), aumentar a competitividade do setor produtivo, contribuindo para o incremento dos investimentos empresariais em atividades de P, D& I e para o desenvolvimento e aplicação de tecnologias que promovam a inclusão produtiva e social.

A intenção da Setec-MEC é que os projetos contribuam para fortalecer os arranjos produtivos locais e o aumento da competitividade das empresas por meio de projetos que desenvolvam ações de diagnóstico, consultorias, análises, ensaios e serviços tecnológicos. Devem ser contempladas ainda ações de difusão tecnológica por meio da nucleação de grupos de professores e alunos para a organização de competições locais e participação em competições.

 

 

 Ana Carolina Abiahy – jornalista do IFPB