Ferramentas Pessoais
Você está aqui: Página Inicial Reitoria Notícias Tecnólogo apresenta canteiro de obras em Princesa Isabel
Ações do documento
29/02/2012 às 08h47

Tecnólogo apresenta canteiro de obras em Princesa Isabel

— registrado em:

Veridiano Junior disse que a construção já avançou consideravelmente graças ao trabalho sério da Comtérmica e dos trabalhadores recrutados pela empresa na região.

Tecnólogo apresenta canteiro de obras em Princesa Isabel

Tecnólogo Veridiano Leandro Júnior, responsável pela obra

Ninguém melhor do que o tecnólogo Veridiano Leandro Júnior para apresentar o atual estágio do canteiro de obras do Campus Princesa Isabel, a maior área em hectares dentre os campi da Instituição. O tecnólogo Júnior é o homem de confiança do empresário Alexandre Mousinho, proprietário da Construtora Comtérmica, para conduzir a obra.

Ele também é ex-aluno do Curso de Construção Civil do antigo Cefet-PB que, posteriormente, ganhou a nomenclatura de Curso de Construção de Edifícios.

Quase 50% do bloco administrativo já está construído e a estrutura do bloco de ensino já tem cerca de 20% concluída. O custo total do campus está orçado em R$ 6.668.789,89. Toda a mão de obra está sendo aproveitada na região.

PORTAL
Você poderia fazer uma rápida apresentação do seu perfil, incluindo o vínculo com o IFPB, Comtérmica e Princesa Isabel?

JÚNIOR

Sempre gostei da área de construção civil, quando então resolvi fazer o vestibular do antigo CEFET-PB que hoje é o IFPB, para o curso de Construção Civil nomeado atualmente de Construção de Edifícios. Cursando o último período consegui o estágio na Comtérmica em uma obra de uma escola municipal em João Pessoa, onde passei o período de estágio e até a conclusão da mesma. Meu irmão, que é engenheiro, me convidou para trabalhar na sua empresa de construção civil na minha cidade de origem, Princesa Isabel, que estimo muito. Ao passar quatro anos sem contato com a Comtérmica, recebi um telefonema do Dr Alexandre Mousinho, proprietário da empresa, sugerindo a minha contratação para tocar a obra do IFPB Campus de Princesa Isabel, não hesitei e logo aceitei a proposta, pois se tratava de uma grandiosa obra da instituição na qual me tornei profissional e por ser na minha cidade de origem.

PORTAL

Júnior, qual foi o foco da sua conversa com o reitor do IFPB, professor João Batista, no canteiro de obras do Campus Princesa Isabel?

JÚNIOR

O reitor João Batista é de uma capacidade imensurável para o desenvolvimento dos campi do Instituto Federal da Paraíba, ao visitar a obra ele me falou o quanto estava satisfeito com relação ao andamento da mesma. Há praticamente um ano e meio, o sonho de expansão do Campus de Princesa parecia um pesadelo, com a obra parada e o crescimento nas matrículas, estava se criando um gargalo, pois não haveria mais espaços para os alunos e tão pouco para os equipamentos de primeiro mundo que chegavam para estudos, laboratórios e administração. Falou ainda o quanto é importante essa obra para a região de Princesa Isabel, já que a mesma abrange as cidades de Água Branca à Manaíra e também as cidades de Flores, Carnaíba, Triunfo e até a cidade de Serra Talhada, no estado vizinho de Pernambuco. 

PORTAL

Você conta, atualmente, com cerca de 100 trabalhadores no canteiro de obras. A Comtérmica parece que não vem tendo muita dificuldade em recrutar trabalhadores. Com relação ao material, a tecnologia e a fluição da obra, o que você tem a acrescentar?

JÚNIOR

A Comtérmica é uma empresa séria e de grande porte, com isso, fica fácil de trabalhar, pois não temos dificuldade de materiais na nossa obra, já que a mesma disponibiliza uma gama de materiais de primeira linha e principalmente uma logística na entrega desses materiais para que não faltem, implicando assim no atraso da obra. Com relação aos trabalhadores, Princesa reúne bons profissionais, deixando aquela história de que só existem bons profissionais nas grandes cidades.

PORTAL

Que imagem você faz do ambiente já construído, considerando todo o complexo arquitetônico previsto para o Campus?

JÚNIOR

O projeto arquitetônico do Campus Princesa está sendo construído dentro da maior área do IFPB, pois a Unidade em sua amplitude compreende aproximadamente 138 hectares (incluindo a Escola Agrícola, incorporada recentemente). No estágio atual, o complexo educacional conta com blocos administrativo e acadêmico, guarita e estacionamento, dentre outros.

PORTAL

O bloco administrativo já está entrando na fase de acabamento. O que compreende esses pavimentos?

JÚNIOR

O bloco administrativo compreende uma área aproximada de 1900 m², sendo em dois pavimentos, térreo e 1º pavimento, onde no térreo temos: 17 salas, dois banheiros sociais já adaptados para os portadores de deficiências, um elevador para portadores de deficiência física, dois jardins e um hall para exposições. Já no primeiro pavimento temos: 16 salas, mais dois banheiros sociais e um hall mezanino com uma vista maravilhosa da serra de Triunfo-PE.

PORTAL

Quais os ambientes previstos para o campus nesta primeira fase?

JÚNIOR

Os ambientes para essa primeira fase são: uma guarita, o bloco Administrativo, o bloco acadêmico, uma grande área de estacionamento, um reservatório de água de 200m³, duas praças e uma subestação, totalizando uma área aproximada de 12.300m² de área construída.

PORTAL

No bloco didático o que já foi construído e o que se espera para os próximos meses?

JÚNIOR

O bloco acadêmico já está com sua primeira laje concluída, as rampas de acesso e escada estão em fase de conclusão, toda alvenaria do pavimento térreo esta pronta, estamos iniciando a segunda laje que está previsto para concluí-la no inicio do mês de abril e conseqüente mente a ultima laje será para o inicio do mês de junho, juntamente iremos avançando com todas as alvenarias e outros serviços subseqüentes.

PORTAL

O reitor João Batista fez alguma recomendação?

JÚNIOR

Sim, ele fez algumas recomendações, a principal foi para manter o bom andamento da obra, já que aos olhos do reitor a mesma se encontra em um bom ritmo. Com relação à biblioteca, o reitor disse que será a sua prioridade para curto prazo já que esse ambiente é de grande importância para uma instituição de ensino como o IFPB.

PORTAL

Que prazo vocês têm para conclusão dos trabalhos?

JÚNIOR

O nosso contrato é de 10 meses, mas com os problemas no início possivelmente será prorrogado.

 

*Filipe Donner - Jornalista do IFPB / Reitoria / Ascom